Peixe cru descongelado, o asterisco nunca deve estar faltando no cardápio


De acordo com os regulamentos em vigor, Todos os peixes crus servidos no restaurante, como sushi, sashimi, tártaro e carpaccio, devem ser previamente congelados e o tratamento deve ser indicado no menu. Mas isso muitas vezes não é relatado no menu. Este artigo de Fabrizio de Stefani fala sobre isso.

Peixe cru pode ser servido no restaurante omitindo a indicação de "descongelado" no cardápio, pois ele passa por um processo preventivo de congelamento obrigatório por lei para a prevenção de parasitas de peixes como, por exemplo, anisakis? Bem não.

A obrigação de indicar com o asterisco também os produtos da pesca e da aquicultura previamente congelados por razões de segurança sanitária (*) foi claramente reiterado no julgamento da Cassação n. 56105 de 13/12/2018 que afirma que “a obrigação de indicação nunca cessou (ver, por exemplo, a Circular Mipaaf de 12 de dezembro de 2014, apenas reconhecendo o ponto) da eventual natureza do produto nos estabelecimentos de restauração, se o mesmo é submetido ao descongelamento para a preparação imediata dos pratos em favor do cliente imediato ".

O mesmo Mipaaf especificou com a circular referida na frase que a derrogação à indicação do estado "descongelado", referida no artigo 35.o do Regulamento (UE) no 1379/2013, não se aplica ao sector da restauração, onde continua a ser obrigatório indicar se o produto é descongelado quando são descongelados para preparação imediata dos pratos em favor dos clientes.

sashimi atum peixe cru
Para peixe cru é sempre obrigatório indicar o tratamento de congelamento no menu com um asterisco

Se da próxima vez que você irá ao restaurante você não achará o asterisco peremptório ou qualquer outra indicação ao crudité de voz de peixe, ou para a voz sushi, sashimi ou carpacci vários, saiba que você poderia ser oferecido um alimento perigoso para saúde porque não era preventivamente higienizado por congelamento.

Se ao invés disso, ao seu eventual pedido de esclarecimento, eles dirão que eles leram em algum lugar que nesses casos a indicação do congelamento e descongelamento não é obrigatória, você pode tirar a satisfação de admoestá-los mais ou menos estritamente, para agradá-los, advertindo-os que eles estão incorrendo no crime de fraude no exercício do comércio porque sua proposta de venda não é verdadeira.

(*) Em conformidade com o disposto na secção VIII do anexo III do Regulamento (CE) 853/2004.

Fabrizio De Stefani – Pensador enxuto, designer de higiene e defensor do Food

© Reprodução reservada

Todos os dias, mais de 40 mil pessoas nos seguem.
Somos independentes e livres da lógica política e empresarial.
Tudo isso é possível graças às doações de leitores que cobrem 20% das despesas

Elaboração do Fato sobre Alimentos

Elaboração do Fato sobre Alimentos