Nuvens de dragão de camarão lembradas por alérgenos não declarados


O Ministério da Saúde publicou o recall de um lote de nuvens de dragão (cracker de camarão) sob a marca Dalian New Century Huihong Trading devido à presença de alérgenos não indicados no rótulo (crustáceos) e porque as instruções de uso e conservação não são indicadas em italiano. O aviso também circulou por Rasff.

O produto em causa é vendido em caixas de 227 gramas com o número de lote HH032 e o prazo mínimo de conservação 08/17/2021. As nuvens de dragão recriadas foram produzidas pela Dalian New Century Huihong Trading Co. Ltd em Dalian, China, e importadas para a Itália pela Asiantrade Srl, que fica na via Keplero 24 em Settimo Milanese, na cidade metropolitana de Milão.

Recomenda-se para indivíduos alérgicos a crustáceos não consumirem o produto com o número de lote informado e devolvê-lo ao ponto de compra. Para os consumidores que não são afetados por alergias a moluscos, o produto é considerado seguro.

A partir de 1º de janeiro de 2019, Il Fatto Alimentare registrou 29 recalls, totalizando 57 produtos e 3 exclusões. Para ver todas as notificações, clique aqui.

Nuvens de dragão de camarão lembradas por alérgenos não declarados 1

Para entender como funciona o serviço de alerta de alimentos e como os produtos são coletados nos pontos de venda, leia o livro "Scaffali in allerta" publicado por Il Fatto Alimentare. É o único texto publicado na Itália que revela os segredos e as críticas de um sistema que afeta a cada ano pelo menos mil produtos alimentícios. Em 10-20% dos casos, são produtos que podem prejudicar a saúde dos consumidores e, por esse motivo, o alerta é acionado. O livro de 169 páginas conta 15 casos de chamadas que causaram sensação. Os leitores interessados ​​em receber o ebook, podem fazer uma doação gratuita e receber o livro em formato pdf "Scaffali in allerta", escrevendo para o endereço [email protected]

© Reprodução reservada

Todos os dias, mais de 40 mil pessoas nos seguem.
Somos independentes e livres de lógica política e corporativa.
Tudo isso é possível também graças às doações dos leitores que cobrem 20% das despesas

Giulia Crepaldi