Greve contra supermercados e grandes empresas


"Nós decidimos realizar uma semana de greves, de 29 de agosto a 5 de setembro, contra redes de supermercados, a indústria de marcas e operadores de comércio eletrônico como a Amazon para protestar contra o fracasso em decolar políticas de sustentabilidade ambiental e social ". Estas são as palavras escolhidas pelo diretor de Luigi Rubinelli RetailWatch, para anunciar a forma singular de protesto do site mais autorizado e provavelmente mais seguido pelos diretores de marketing e diretores administrativos dessas empresas.

"Nós greve porque as mudanças climáticas globais são muito visíveis e as empresas devem intervir incisivamente. A velocidade da mudança é muito maior do que as decisões das empresas de limitar os danos ". Para isso ReailWatch solicita compromissos específicos em matéria de redução de resíduos de embalagens, resíduos de alimentos, emissões de CO2, consumo de energia, água e plásticos descartáveis. Além disso, há a necessidade de respeitar os direitos humanos no fornecimento do produto, desde a matéria-prima até a prateleira.

RetailWatch

o apelo pode ser genérico, mas não é de todo. É verdade que, individualmente, as redes de supermercados e até as indústrias de marcas adotam há muito tempo iniciativas nesse sentido, mas muitas vezes são ações pouco incisivas, às vezes ditadas mais por conveniência econômica do que por uma estratégia eco-ambiental precisa. O planeta está mudando muito rápido, as empresas que atuam no setor de consumo e comércio têm uma grande responsabilidade e, por isso, devem enfrentar os problemas, evitando iniciativas marginais que não afetam significativamente o meio ambiente e o sistema. A equipe editorial da RetailWatch compromete-se a coletar e relançar casos de sustentabilidade no site.

Il Fatto Alimentare compartilha o apelo de Rubinelli e junta-se à demanda por um salto qualitativo e uma forte aceleração nas escolhas de supermercados e empresas.

© Reprodução reservada

Se você chegou aqui …

… você é uma das 40 mil pessoas que lê nossas notícias sem limitações todos os dias porque damos a todos acesso gratuito. O Il Fatto Alimentare, diferentemente de outros sites, é um jornal on-line independente. Isso significa não ter um editor, não estar vinculado a lobbies ou partidos políticos e ter anunciantes que não interferem em nossa linha editorial. Para isso, podemos escrever artigos que são favoráveis ​​ao imposto sobre bebidas açucaradas, para neutralizar o consumo exagerado de água engarrafada, relatar avisos de alimentos e relatar anúncios enganosos.

Tudo isso é possível também graças às doações dos leitores. Apoio Il Fatto Alimentare mesmo um euro.

Roberto La Pira

Jornalista profissional, licenciatura em Ciências da Preparação de Alimentos