biscoitos e lanches na pirâmide dupla de alimentos


a ausência Um grande número de programas institucionais sérios para educação alimentar deixa espaço para as empresas, com o resultado de que comportamentos frequentemente prejudiciais são promovidos. Nesta nota, Matteo Giannattasio, já professor titular de bioquímica de plantas e responsável pelo mestrado em agricultura orgânica da Universidade de Nápoles, fala sobre isso.

A educação (des) nutrição é veiculada em geral por comerciais de TV e os chamados artigos editoriais (nada mais que publicidade mais ou menos disfarçada) inseridos nas páginas de jornais dedicados à informação científica, ferramentas de propaganda financiadas pela indústria de alimentos. Uma contribuição também vem dos rumores que circulam nas redes sociais. Há, no entanto, também a (des) educação envolta em uma aura de cientificidade.

Um exemplo disso é o encontrado no site do centro de alimentação e nutrição de Barilla (Bcfn). Lê sobre a dupla pirâmide alimentar e ambiental desenvolvida pelo mesmo Bcfn: "Os alimentos com menor impacto ambiental também são recomendados pelos nutricionistas para a nossa saúde, assim como os alimentos com grande pegada ambiental devem ser consumidos com moderação pelos efeitos à saúde.". No entanto, se você observar a imagem da pirâmide ambiental (veja a foto acima), notará que biscoitos e bolos são colocados nos pisos inferiores da pirâmide, juntamente com alimentos nobres, como pão, arroz, macarrão e iogurte, dos quais o consumo diário é justamente recomendado. Um leitor desatento, que não verifica onde esses alimentos estão na pirâmide alimentar, pode ser enganado e pensar que mesmo o consumo de biscoitos e lanches pode ser diário.

Outra observação: no local, diz-se que o modelo da dupla pirâmide alimentar e ambiental decorre do estudo e evolução da pirâmide alimentar, na qual a dieta mediterrânea se baseia. Alguém se pergunta se e até que ponto biscoitos e lanches fazem parte da dieta mediterrânea.

Para terminar, um 'errata corrige para os responsáveis ​​pelo local de Barilla: as leguminosas também foram incluídas na seção de cereais, que não são cereais.

Deixar a educação alimentar nas mãos da indústria de alimentos corre o risco de conflitos de interesse.

Matteo Giannattasio

© Reprodução reservada

Se você chegou aqui …

… você é uma das 40 mil pessoas que lê nossas notícias sem limitações todos os dias porque damos a todos acesso gratuito. O Il Fatto Alimentare, diferentemente de outros sites, é um jornal on-line independente. Isso significa não ter um editor, não estar vinculado a lobbies ou partidos políticos e ter anunciantes que não interferem em nossa linha editorial. Para isso, podemos escrever artigos favoráveis ​​ao imposto sobre bebidas açucaradas, para neutralizar o consumo exagerado de água engarrafada, relatar avisos de alimentos e relatar anúncios enganosos.

Tudo isso é possível também graças às doações dos leitores. Suporte Il Fatto Alimentare

Il Fatto Alimentare Editorial

Il Fatto Alimentare Editorial