a análise das águas do Greenpeace


Criação intensiva e a agricultura industrial polui os cursos d'água europeus. Esta é a conclusão da associação ambientalista Greenpeace, que trouxe no laboratório amostras de água retiradas de 29 canais e rios para irrigação localizadas em 10 países europeus. Para a Itália, dois canais foram escolhidos e um canal entre as províncias de Brescia, Cremona e Mântua, na Lombardia, onde o maior número de suínos criados intensivamente está concentrado.

As análises reveladas 23 dos 29 cursos de água testados continham medicamentos veterinários (79%). Em particular, 21 drogas diferentes foram encontradas, das quais 17 com função antimicrobiana. Entre estes 12 foram os antibióticos, que foram encontrados em 69% das amostras analisadas. Entre os mais comuns, há a dicloxacilina (também usada para homens) detectada com uma frequência de 66%. A amostra retirada do Roggia Savarola, na província de Brescia, é a que possui o maior número de medicamentos, até 11, incluindo 7 antibióticos.

Pesticidas eles foram encontrados em todas as amostras analisadas. Foram identificadas 104 substâncias, 28 das quais foram proibidas na União Europeia. O maior número de pesticidas (70) foi descoberto na Bélgica, em uma amostra retirada de um canal onde também foi registrada a maior concentração de agrotóxicos. Dez amostras continham níveis de pesticidas acima do nível considerado seguro para organismos aquáticos, de acordo com a Agência Alemã de Segurança Ambiental.

O problema da poluição não se limita a pesticidas e drogas, mas também afeta os níveis de nutrientes – substâncias naturais como nitratos, nitritos e fosfatos – despejados nas águas de fazendas e fertilizantes que são usados ​​na agricultura. Nitratos foram encontrados em todos os lugares, enquanto nitritos e fosfatos em dois terços dos cursos de água. Os nitratos estavam sempre abaixo do limite europeu para a proteção de rios e lagos, enquanto em quatro casos, dois dos quais na Itália, os nitritos excederam o limiar de 0,3 mg / l acima do qual uma via navegável já não pode ser definido como "bom estado ecológico".

análise da água do greenpeace itália
O Greenpeace analisou as águas de 29 canais e rios em 10 países europeus, dos quais três na Itália, concentrados na área de maior criação de suínos

greenpeace recorda que a presença destas substâncias nos cursos de água pode aumentar o risco de desenvolvimento de bactérias resistentes aos antibióticos, que podem contaminar a cadeia alimentar humana. Além disso, há efeitos adversos sobre plantas e animais derivados de pesticidas e outras substâncias ativas. A quantidade de nutrientes mais alta do que o normal também favorece a proliferação rápida e excessiva de algas (eutrofização), que, uma vez decompostas, privam as águas do oxigênio, criando verdadeiras "zonas mortas".

A associação ambiental Exorta a União Europeia e os governos nacionais a não financiarem a pecuária intensiva com fundos da Política Agrícola da Comunidade (PAC), que dependem largamente da importação de alimentos para animais (possivelmente cultivados em terras induzidas pelas florestas) e utilizam antibióticos como uma forma de prevenção. O Greenpeace também pede para promover uma produção de carne e produtos lácteos com foco na qualidade, juntamente com uma produção ecológica de frutas e vegetais.

Fonte de imagens: Greenpeace

© Reprodução reservada

a análise das águas do Greenpeace 1

* Por cartão de crédito (através do PayPal).
Clique aqui

* Por transferência bancária: IBAN: IT 77 Q 02008 01622 000110003264
indicando como causal: apoio Ilfattoalimentare 2018. Clique aqui

Giulia Crepaldi